Artesanato 12/02/2020 - 10:35 - Seleucia Fontes/Governo do Tocantins

Tocantins marca presença na primeira reunião do Programa do Artesanato Brasileiro em 2020

O artesanato tocantinense vai estar em discussão no  evento O artesanato tocantinense vai estar em discussão no evento - Flávio Cavalera

A definição da agenda do desenvolvimento do artesanato brasileiro no período 2020-23 será o tema principal da primeira reunião de 2020 da coordenação nacional do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) com os representantes regionais e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) nesta quinta e sexta, dias 13 e 14 de fevereiro, no Centro de Referência do Artesanato Brasileiro (CRAB), no Rio de Janeiro. O Estado do Tocantins será representado pela gerente de Fomento e Promoção da Cultura da Agência de Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc) e coordenadora do PAB, Lívia Iwasse.

A pauta do evento traz ainda definições sobre o Prêmio do Artesanato Brasileiro, o Portal do Artesanato Brasileiro, realização de feiras e rodadas de negócios, apoio aos laboratórios técnicos voltados para a competitividade dos produtos brasileiros, e ainda cadastramento de artesãos e ações do Centro Sebrae de Referência do Artesanato Brasileiro.
Em novembro de 2019, Palmas tornou-se a primeira cidade a sediar uma reunião do PAB fora de Brasília, graças a articulação do Governo do Estado, por meio da Adetuc/Superintendência de Cultura.

“A vinda dos coordenadores do programa ao Tocantins teve grande importância em nível nacional, e regionalmente trouxe a validação da força do nosso artesanato, que é compreendido pelo governador Mauro Carlesse como legítimo representante da economia criativa tocantinense”, ressalta Tom Lyra, secretário de Indústria, Comércio e Serviços (Sics) e responsável pela Adetuc.

PAB
O Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) é gerenciado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, por meio da Secretariaria Especial de Micro e Pequenas Empresas, e tem o objetivo de promover o desenvolvimento integrado do setor artesanal e valorizar o artesão, elevando seu nível cultural, profissional, social e econômico, atuando na articulação de políticas públicas para o setor.
A base do Programa é o desenvolvimento de políticas públicas de forma integrada com os diversos atores do setor, em especial com a colaboração de todas as unidades da Federação.